terça-feira, 12 de novembro de 2013

Resenha - Reencontro



Ao ler a sinopse e ver a capa você provavelmente pensará que será um grande drama de fundo romântico. Pois é, eu pensei. No entanto, não posso ignorar que foi uma leitura decepcionante em sua maior parte. Ela te promete sofrimento e dor, além de uma história densa, que vai te fazer mergulhar na atmosfera de tristeza e revolta da personagem principal, Ana Luiza.

No entanto, as descrições de sentimentos, na maior parte das vezes, são extremamente superficiais, principalmente se o leitor for acostumado com dramas intensos e detalhes meticulosamente explicitados.
Superficialidades à parte, falemos dos personagens. Das centenas de livros que já  li, esse foi o primeiro no qual não fui cativada por nenhum deles. A principal, por exemplo, é uma pessoa que, ao invés de empatia, acaba despertando uma grande apatia e até raiva e indignação, provavelmente justamente pelo fato de seu sofrimento parecer tão raso.

Como se não fosse o suficiente, Ana Luiza ainda parece ter o destino contra ela. Por favor, já deveríamos ter aprendido que isso só  é plausível se o personagem for “o escolhido de/para algo”.
Ao longo do livro, não pude deixar passar despercebido que a frase “eu menti para você” acompanha algumas passagens, o que me deu a sensação de que a autora ficava mudando de ideia sobre o desfecho final.

Depois de todos os pontos negativos até então, eu estava disposta a classificar o livro como “ruim”, mas vi uma luz no fim do túnel quando cheguei ao 1/5 final do livro. Quando eu já tinha perdido as esperanças, o mais incrível aconteceu: melhorou; e muito. O enredo finalmente se tornou envolvente, mas, o ponto principal, é que a mensagem final do livro é extremamente importante e merece ser lida e, como ocorreu como Ana Luiza, ela pode ajudar muita gente.

Devo ressaltar, também, que li algumas opiniões sobre o livro e pude perceber que todas são oito ou oitenta. Há quem tenha odiado, mas também quem tenha amado cada página. Talvez isso seja uma coisa boa, afinal, cada um tem uma mente e, portanto, uma interpretação diferente.

Obs.: O livro possui um forte caráter religioso. Esteja ciente disso, principalmente se for cético.


   Resenha por Giulia Alzuguir

4 comentários:

Ana Lia Santos disse...

Que legal,adorei a resenha ^^ Tem post sobre minhas tatuagens do blog,vem conferir e dá sua opinião?
http://espacoteencomanaliasantos.blogspot.com.br/2013/11/sobre-minhas-tatuagens.html
Espero sua visita ^^ Beiiijos :*

Lucas Gilmar disse...

seu blog e muito lindo e bem legal e gosti muito da resenhas beijos
ja estou seguindo beijos bay
livro-azul.blogspot.com.br

Oliveira disse...

Nossa, que bagagem esse livro. Só lendo para saber se gosta ou não.
Pela forma que ele foi escrito não há como saber por alto se vai gostar. Um livro interessante!

Fabrica dos Convites disse...

Engraçado, eu não senti esta bagagem religiosa que você falou, mas concordo contigo, cada um vê e sente o livro de uma forma diferente. Eu estou no time dos que gostaram.
Bjs, Rose.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...